top of page
  • RDreams

Profissionais Farmacêuticos Autorizados a Solicitar Exames de Monitoramento do HIV

O Ministério da Saúde, por meio do Departamento de HIV/Aids, Tuberculose, Hepatites Virais e Infecções Sexualmente Transmissíveis (DATHI/SVSA/MS), divulgou recentemente a Nota Técnica n° 181/2023-CGAHV/DATHI/SVSA/MS, estabelecendo uma medida crucial para a melhoria do cuidado prestado às pessoas vivendo com HIV/Aids (PVHA) no Brasil. A nota recomenda que farmacêuticos atuantes nos serviços do Sistema Único de Saúde (SUS) solicitem exames de quantificação da carga viral do HIV e contagem de linfócitos T CD4+ como parte do monitoramento da condição desses pacientes. Esta medida representa um avanço significativo na assistência integral às PVHA e destaca a importância dos farmacêuticos na rede de saúde pública do país.


A assistência integral às PVHA é fundamental para garantir um cuidado contínuo e de alta qualidade. O monitoramento regular da carga viral do HIV e da contagem de linfócitos T CD4+ é crucial para avaliar a eficácia do tratamento antirretroviral, identificar a necessidade de ajustes na terapia e prevenir a progressão da doença. Além disso, a medição desses parâmetros ajuda a determinar o estado imunológico do paciente e a sua susceptibilidade a infecções oportunistas, fornecendo informações valiosas para a tomada de decisões clínicas.


O presidente do Conselho Federal de Farmácia (CFF), Walter Jorge João, ressalta a importância desta medida, afirmando que os farmacêuticos já desempenham um papel crucial no atendimento às PVHA. Eles estão envolvidos em atividades como a dispensação de medicamentos, o estímulo à adesão ao tratamento, a supervisão de efeitos adversos, a detecção de interações medicamentosas, a educação em saúde e a gestão de planos de cuidados. A inclusão dos farmacêuticos como solicitantes de exames de carga viral e contagem de linfócitos T CD4+ amplia ainda mais a gama de serviços que esses profissionais podem oferecer, contribuindo para uma assistência integral e de excelência.


Esta medida reconhece a posição estratégica dos farmacêuticos dentro da rede do SUS. Sua presença nas unidades de saúde oferece uma oportunidade única de estabelecer uma relação próxima e de confiança com os pacientes, o que é essencial para o sucesso do tratamento. Além disso, os farmacêuticos são altamente treinados em farmacologia e terapia medicamentosa, o que lhes confere a capacidade de interpretar os resultados dos exames de carga viral e linfócitos T CD4+ e tomar decisões clínicas informadas.


Para apoiar os farmacêuticos nesse novo papel, o Ministério da Saúde disponibiliza cursos na plataforma do Ambiente Virtual de Aprendizagem do SUS (AVASUS). Esses cursos são projetados especificamente para profissionais de saúde que trabalham com PVHA e fornecem informações atualizadas sobre o manejo do HIV, as melhores práticas de atendimento e a interpretação dos resultados dos exames de monitoramento. Isso garante que os farmacêuticos estejam bem preparados para desempenhar esse papel fundamental na assistência às PVHA.


Em resumo, a recomendação do Ministério da Saúde de permitir que farmacêuticos solicitem exames de quantificação da carga viral do HIV e contagem de linfócitos T CD4+ é um passo crucial para melhorar a assistência às pessoas vivendo com HIV/Aids no Brasil. Essa medida reconhece o papel fundamental dos farmacêuticos na rede de saúde pública e reforça o compromisso do país em fornecer cuidados de alta qualidade a todos os cidadãos. Com a devida capacitação e suporte, os farmacêuticos estão bem posicionados para desempenhar esse papel importante e contribuir significativamente para o bem-estar das PVHA.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page